terça-feira, 30 de junho de 2020

Música na primeira infância




Por Christiane Angelotti


A formação das estruturas auditivas do bebê ocorre nos primeiros meses de gestação. Neste período, o bebê tem contato com sua primeira referência de som e ritmo: o batimento cardíaco materno. Antes de nascer, o bebê já é sensível às batidas do coração da mãe e ao timbre de sua voz. A audição assume papel de protagonista nos processos iniciais cognitivos do recém-nascido, sendo fundamental para o desenvolvimento da fala e posteriormente para o aprendizado integral da criança.


Na primeira infância o cérebro está em pleno desenvolvimento e, se bem estimulado, será responsável por um melhor desempenho e habilidade em executar determinadas funções. A música é uma delas.


As experiências musicais na infância têm grande importância não só para aptidões musicais futuras, como também para o desenvolvimento das habilidades sensoriais, no desenvolvimento das aptidões linguísticas, da inteligência, capacidade de expressão e coordenação motora.

A criança que cresce ouvindo música, experimentando fontes sonoras diversas e com um direcionamento adequado, muito provavelmente terá maior habilidade para tocar instrumentos, desenvolver a linguagem e a memória auditiva.
Estudos realizados na década de 1990 mostraram que “a exposição à música desde a infância ajuda as crianças a falar com mais clareza e a desenvolver um vocabulário maior”. Além disso, de acordo com Susan Hallam, do Instituto de Educação da Universidade de Londres, a fala e a música têm vários sistemas de processamento compartilhados no cérebro. Isso significa que ouvir e cantar músicas pode levar a uma melhoria no entendimento da criança pela língua.


A música ajuda a fortalecer as habilidades motoras

Quando uma criança ouve música, muitas vezes é possível perceber que ela mexe também seu corpo, seja ao bater palmas, pular ou dançar. A exposição à música ajuda a criança a desenvolver habilidades motoras finas, como equilíbrio e coordenação, e habilidades motoras grossas, como andar, correr, pular e se sentar.




A música pode ajudar a criança a aprender habilidades matemáticas

Para crianças pequenas, os conceitos de matemática são simples, focados no reconhecimento de padrões e formas. Até a música mais básica apresenta padrões repetidos no ritmo que uma criança pode acompanhar. Além disso, as crianças podem ter experiência prática na criação de padrões quando tocam uma música com instrumentos como bateria ou xilofone.

Música pode aliviar o estresse
Desde os primeiros dias de vida, a criança pode ser acalmada com música suave e relaxante. Ouvir sua música favorita pode ajudar a criança a se sentir energizada e animada, e também pode ajudá-la a lidar com situações estressantes. De acordo com a educadora e neurocientista Dee Joy Coulter “não há forma mais alegre e divertida para fornecer aprendizado da resiliência do que a música da primeira infância”.

Todo adulto deve contribuir para expor a criança à música, incentivando-a a cantar, dançar e ouvir música regularmente. Muitas escolas de educação infantil oferecem programas de música como parte de seu currículo. Além disso, bibliotecas, escolas de música e centros de recreação podem ser locais ideais para encontrar experiências musicais para a criança.


Fontes consultadas:


BRITO, T. A. Música na educação infantil. São Paulo: Peirópolis, 2003.
ILARI, B. A música e o cérebro: algumas implicações do neurodesenvolvimento para a educação musical. Revista da ABEM, Porto Alegre, v.9, p.7-16, 2003. 
HALLAM, S. Instrumental Teaching: a Practical Guide to Better Teaching and Learning. Oxford: Heinemann, 1998