terça-feira, 21 de maio de 2019

75 anos de Pippi Meialonga




Por Christiane Angelotti

"Eu quero escrever para um público que possa criar milagres. As crianças criam milagres quando leem" 
Fonte: De “É por isso que as crianças precisam de livros”, o discurso que Astrid Lindgren realizou na recepção do Prêmio HC Andersen em abril de 1958.

Criar um personagem que ganha vida própria, que permanece na imaginação dos leitores. Que por vezes, até os que não leram sua história conhecem, é o sonho de muitos autores. Poucos conseguem. Há 75 anos Pippi Meialonga vive além de seus livros.


Píppi Meialonga completa 75 anos de publicação, em 2019!





ASTRID LINDGREN


A autora nasceu em Vimmerby, na Suécia, em 1907. 
Os livros de Astrid Lindgren já venderam mais de 165 milhões de cópias em todo o mundo. Segundo a lista anual da UNESCO, ela é a 18ª autora mais traduzida do mundo. Certa vez, a autora disse em entrevista: “Eu escrevo para divertir a criança que vive dentro de mim, só espero que outras crianças também se divirtam”. 

Muitas das histórias de Astrid Lindgren foram baseadas em suas memórias de infância e são repletas de personagens cheias de vida e pouco convencionais, como Píppi Meialonga, a mais conhecida. Astrid morreu em 2002, aos 94 anos.

Pippi foi o primeiro livro de Astrid Lindgren. Escrito em 1944 e editado no ano seguinte. 

Sua atividade literária começou por mero acaso: uma fratura do tornozelo e o repouso forçado. Assim, Lindgren imaginou Pippi, de cabelos bem ruivos e sardenta, órfã, rebelde, forte (a menina mais forte do mundo), engraçada, que vive aventuras emocionantes em companhia de seu cavalo e de um macaco,o Sr Wilson. Lindgren escreveu o livro como presente de aniversário para a sua filha que completava 10 anos.

A autora recebeu diversos prêmios importantes como o Hans Christian Andersen, em 1958, o Prêmio International Book Award da Unesco, de 1973, o Prêmio Nobel Alternativo da Literatura, em 1994, Prêmio da Paz do Comércio Livreiro Alemão, em 1978. A instituição que concedeu este prêmio justificou assim a escolha: "Sua obra presenteia as crianças com fantasia – um tesouro inalienável – e reforça a confiança delas na vida".

Astrid Lindgren dá nome a um dos prêmios mais importantes da literatura infantil e juvenil, o Prémio ALMA – Astrid Lindgren Memorial Award



Pippi Meialonga (Pippi Långstrump

"Não, eu não sofro de sardas", disse Pippi. A dama finalmente entendeu. Então ela olhou para Pippi e exclamou: “Mas, querida criança, todo o seu rosto está coberto de sardas!” “Isso mesmo”, disse Pippi. “Mas eles não me incomodam. Eu gosto deles! Bom dia para você!"

Ilustração de Ingrid Nyman, a primeira ilustradora de Pippi
Com suas meias combinadas, cabelos vermelhos e rosto sardento, para não mencionar a força e a resistência super-humana, Pippi Longstocking se tornou um ícone cultural.

Pippi é frequentemente eleita como um dos personagens infantis favoritos do mundo; autossuficiente, perspicaz, generosa e nunca deixando nada - ou ninguém - abalar sua autoconfiança ou tirar proveito. Sua força vai além da força física. E as crianças sabem disso.

Os três volumes de Pippi Meialonga foram publicados entre 1945 e 1948. 

Píppi é uma menina de nove anos incrivelmente forte. Tem um pai, que muitos desconfiam que não existe, mas é órfã de mãe. Mora na Vila Vilekula com o seu cavalo e o macaquinho, Sr Wilson.  Ela mesma faz suas roupas, um tanto quanto esquisitas, e sua comida, entre elas guloseimas como biscoitos, panquecas e sanduíches. Destemida e sapeca, Píppi tem sempre uma resposta na ponta da língua e demonstra grande confiança em si mesma. Nada convencional, causa espanto e confusão por onde passa. Questionadora, curiosa, inventiva, encantadora.
No Brasil seus livros são editados pela Companhia das Letrinhas

Sites oficial da autora: https://www.astridlindgren.com/