terça-feira, 29 de maio de 2018

Educação infantil em foco — #8

Crie um ambiente alfabetizador também em casa

Apresentação de Christiane Angelotti

Aprender a ler e escrever vai além do letramento realizado pela escola. A criança vive em um mundo letrado, cercada por estímulos que podem, ou não, aguçar sua curiosidade favorecendo seu processo de aprendizagem.

O educador Paulo Freire propunha que a leitura de mundo é um processo muito anterior à leitura escrita, formada por uma infinidade de experiências e vivências socioculturais as quais somos sujeitados e imersos.

Esse aprendizado acontece por meio da observação, escuta, experiências e exploração. É através de trocas e do relacionamento com o outro no meio em que vive que a criança aprende o significado da vida em sociedade, sua cultura e regras. É por esta razão que educadores dizem que o mundo inteiro é uma sala de aula.

Segundo Ana Teberosky, psicóloga e psicopedagoga, especialista em Psicologia da Educação, o ambiente alfabetizador é aquele em que há uma cultura letrada, com livros, textos digitais ou em papel, um mundo de escritos que circulam socialmente. A comunidade que usa a todo momento esses escritos, que faz circular ideias que eles contêm, é chamada comunidade alfabetizadora.

Dando continuidade à sua coluna em nosso site, Lauri Cericato compartilha dicas práticas e simples para que você possa propiciar um ambiente alfabetizador também em casa.

Por Lauri Cericato
Educador, consultor, palestrante e diretor editorial

21. Espalhe livros, revistas e jornais pela casa. Compre almanaques que tenham caça-palavras e palavras cruzadas.

22. Coloque um quadro de recados em casa e anote mensagens nele.

23. Mantenha lápis, giz de cera e papel pela casa. Estimule o uso.

24. Peça ajuda à criança para fazer a lista do supermercado e para escrever a amigos e parentes.

25. Monte uma biblioteca em casa. Não selecione apenas livros com pouco texto.

26. Dê o exemplo. A premissa básica de uma família alfabetizadora é dar o exemplo. Não faz sentido os pais esperarem que seu filho tenha interesse pela leitura se eles mesmos não tiverem.

27. Sempre que ler algo interessante em um livro ou uma revista, compartilhe com seu filho e convide-o a ler junto.

28. Comente com seu filho sobre o livro que você está lendo. Use a linguagem que ele possa entender.

29. Crie atividades alfabetizadoras. Quando escrever cartas, e-mails e bilhetes peçam para ele ajudar.

30. Procure mostrar ao seu filho exemplos de como a leitura e a escrita são importantes para a vida.

31. Estimule seu filho a ler tudo o que for escrito: rótulos, embalagens, cartazes,placa de carro, outdoors, letreiros etc.

32. Frequentem livrarias próximas de sua casa.

33. Ofereça livros e histórias. Dê livros ou revistas simples para que ele comece a ver e a ler sozinho (no começo, prefira os de letra de forma).

34. Deixe os livros à mão para ele folhear e inventar histórias quando quiser.

Se tiver dúvidas, mande suas perguntas para o email: paraeducar.contato@gmail.com.

Lauri Cericato
Pai, educador, editor, consultor e palestrante na área de Educação.
Filósofo, Historiador e Pedagogo.