quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Doze livros que falam sobre a formação de leitores

Reading from all sides (1988) by Brenda Joysmith
O que faz de um indivíduo um leitor competente? A quantidade de livros que ele lê? A facilidade em interpretar textos? Sua experiência enquanto leitor? Como fazer uma criança gostar de ler?

Para responder estas e outras questões nada melhor que recorrer às referências teóricas, e para isso vamos sempre em busca de estudiosos e pesquisadores, do Brasil e do mundo, sobre teoria e crítica literárias e formação de leitores.

Essas leituras ajudam a respaldar nossas escolhas, a amadurecer projetos e ações e, assim, proporcionar melhores experiências de leitura com as crianças que nos cercam.

Esperamos que as leituras aqui propostas sejam para você, assim como para nós, uma fonte de inspiração e consulta.

1. Como Um Romance 

Autor: Daniel Pennac
Tradutor: Leny Werneck
Editora: Rocco

O pedagogo francês Daniel Pennac fez uma daquelas obras consideradas essenciais para quem trabalha com o incentivo à leitura. O livro nos aponta equívocos cometidos por muitos pais e professores na tentativa de fomentar o hábito de ler entre crianças e jovens.

Inspirado em vivências pessoais, como professor, Pennac recria na ficção um ambiente de sala de aula e nos leva a refletir sobre a razão de os jovens não gostarem de ler.  E indica como recuperar nos alunos o gosto pela leitura, um ato esquecido nestes tempos dominados pela comunicação em massa.  Acima de tudo, Pennac quer mostrar que o ato de ler é um ato de prazer e não de obrigação.

2. A Formação do Leitor Literário

Autora: Teresa Colomer
Editora: Global

No livro a autora Teresa Colomer demonstra que os textos produzidos para o público infantojuvenil apresentam características de uma literatura que relaciona suas qualidades com o conceito social da educação infantil vigente em cada época. Assim, a partir de 150 obras publicadas na Espanha, destinadas às faixas etárias entre cinco e quinze anos, Colomer estuda as inovações temáticas e narrativas da produção entre o período de 1977 a 1990.

3. Contando Histórias, Formando Leitores

Autoras: Ana Maria Machado e‎ Ruth Rocha
Editora: Papirus 7 Mares

A literatura tem o poder de desvendar o mundo através das histórias. 

Nesta obra, as autoras buscam mostrar como a literatura infantil pode influenciar na formação e no desenvolvimento das crianças e dos jovens.  Seja gerando empatia, imaginando modos de vida diferentes, trabalhando sentimentos próprios. Por meio das histórias as crianças, e os jovens também, realizam suas descobertas interiores.

As autoras defendem a ideia de que por meio da literatura os leitores entram em contato com o conhecimento e as experiências dos escritores, podendo vislumbrar modos diversos de viver e de pensar, contribuindo para a formação de seus próprios repertórios.

4. Introdução à literatura infantil e juvenil atual

Autora: Teresa Colomer 
Tradurora: Laura Sandroni
Editora: Global

Em Introdução à literatura infantil e juvenil atual a autora Teresa Colomer reflete sobre quatro perguntas fundamentais sobre a literatura infantil e juvenil: para que servem os livros dirigidos às crianças e aos jovens; como facilitar essa leitura; como se caracteriza a literatura infantil e juvenil, tanto a clássica como a atual; e como definir os livros mais adequados entre tantas publicações existentes.

Com diversas ilustrações e atividades didáticas sobre as questões abordadas, a obra é dividida em capítulos, e traz ao final uma série de referências bibliográficas, tanto das obras mencionadas como de outras para consulta.

O livro também traz discussões quanto aos gêneros literários; quanto aos valores educativos, como a evolução do sexismo; quanto às orientações educativas, como o planejamento escolar das atividades literárias; e quanto aos critérios de seleção, como a qualidade das obras ou as práticas recomendadas de livros sugeridos em cada seção.

5.  A Casa Imaginária. Leitura e Literatura na Primeira Infância

Autora: Yolanda Reyes
Editora: Global

O livro é resultado de quinze anos de pesquisa da autora. Reúne as mais recentes descobertas das ciências que valorizam as etapas iniciais do desenvolvimento infantil. Sua missão é convencer o público tanto sobre a necessidade de se começar já a tarefa de formar leitores quanto do imenso prazer de ler com as crianças pequenas.



6. Deixem Que Leiam

Autora: Geneviève Patte
Tradutora: Leny Werneck
Editora: Rocco

Como despertar na criança o gosto pela leitura? Como ajudá-la a seguir o seu percurso de leitora, do primeiro livro de imagens à literatura em todas as suas formas? O testemunho de Geneviève Patte, bibliotecária com atuação nas áreas de pedagogia e educação infantil, vai apaixonar por sua clareza e profundidade todos aqueles — pais, professores e mediadores sociais — engajados na exigente missão leitura.



7.  Como E Por Que Ler Clássicos Universais Desde Cedo

Autora: Ana Maria Machado 
Editora: Objetiva

A premiada escritora Ana Maria Machado nos conduz por uma fascinante viagem — um passeio pelos grandes textos da literatura universal. Um mergulho no que de melhor já se produziu em literatura infantojuvenil. Acompanhá-la ao longo dessas páginas é constatar que ler pode se transformar numa grande aventura. Numa linguagem saborosa, a autora nos conta um pouco de sua própria história de leitora. Suas primeiras paixões literárias, seus personagens inesquecíveis, as histórias que sempre volta a ler. Enquanto traça a cartografia emocionada de suas paixões literárias, Ana Maria Machado nos contagia e nos desperta a vontade de também conhecer esses personagens incríveis.

8.  Como e Por Que Ler A Literatura Infantil no Brasil

Autora: Regina Zylberman 
Editora: Objetiva

Escrever para crianças sempre foi um desafio — para quem escreve, ilustra e também para quem apresenta o livro a este público tão especial. Como conquistá-lo? Que recursos são necessários para fazer do primeiro livro algo inesquecível? E como este desafio foi vencido no Brasil?

Apesar de ter pouco mais de cem anos, a literatura infantil brasileira rapidamente soube mostrar a que veio. Conquistou leitores, emocionou gerações e criou um espaço nobre nas prateleiras dos leitores jovens. Quando uma criança lê nomes como Monteiro Lobato — o grande marco —, Henriqueta Lisboa, Ruth Rocha, Ana Maria Machado, Sylvia Orthof, Lygia Bojunga ou João Carlos Marinho, entre tantos outros, ela sabe que um pacto foi selado. Um pacto lúdico, em que a diversão leva ao conhecimento.

Como e por que ler a literatura infantil brasileira, da respeitada professora Regina Zilberman, é uma deliciosa reflexão sobre os matizes desse pacto. Não importa se é poesia, teatro, fábula, conto, história oral ou novela juvenil. O importante é oferecer às crianças a chave da sua brasilidade.

9. A arte de ler

Autora: Michèle Petit
Editora: 34

"Aquele livro me deu a força necessária para enfrentar a virada decisiva de minha vida, aceitar que eu não era mais o mesmo, suportar sê-lo com meus amigos que não compartilhavam o que eu pensava e que tive que enfrentar para defender minha nova maneira de ver a vida..."

O depoimento acima, de um jovem morador de um dos bairros mais pobres de Bogotá, na Colômbia, é apenas um entre as dezenas de testemunhos sobre a importância da literatura — tomada aqui num sentido amplo, que inclui histórias em quadrinhos e relatos orais, além dos gêneros tradicionais da poesia, do conto e do romance — na formação do sujeito, e o papel que ela desempenha em contextos de crise.

Comentando experiências de mediadores de leitura em contextos adversos, especialmente em países da América Latina, entre eles o Brasil, neste A arte de ler a antropóloga francesa Michèle Petit amplia os temas e aprofunda as análises de seu Os jovens e a leitura, publicado em 2008 pela Editora 34. Com um olhar interessado e uma sólida bagagem intelectual, investiga as diferentes maneiras pelas quais a forma narrativa pode atuar como educadora da sensibilidade, ao mesmo tempo em que se afirma como um poderoso instrumento de resistência ao caos interior e à exclusão social.

10. O direito de ler e de escrever

Autora: Silvia Castrillón
Tradução: Marcos Bagno
Apresentação: Bartolomeu Campos de Queirós
Editora: Pulo do Gato

Esta obra inaugurou a coleção Gato Letrado, em 2011. A autora levanta questões importantes sobre a formação e os desafios dos bibliotecários, convoca a pensar as políticas públicas de leitura, critica clichês e posturas que há muito apresentam sinais de cansaço, reivindica o direito à escrita, muitas vezes esquecido à sombra da leitura, e politiza as bibliotecas, fazendo delas muito mais que um lugar de acesso à informação.



11. Ouvir nas entrelinhas — O valor da escuta nas práticas de leitura

Autora: Cecilia Bajour
Tradução: Alexandre Morales
Apresentação: João Luís Ceccantini
Editora: Pulo do Gato

Os quatro textos que compõem a obra discorrem sobre a importância da "escuta", da "conversação literária" e do "registro" para o êxito no trabalho com a leitura literária. Chamam a atenção para a importância da formação do mediador, responsável, em grande parte, pelo sucesso ou pelo fracasso das ações promotoras da formação do leitor nas instituições escolares.



12. Caminhos Para Formação do Leitor

Autora: Renata Junqueira de Souza
Editora: DCL

A leitura exige esforço, pois é uma construção que pressupõe treino, capacitação e acumulação. Não existe uma fórmula mágica para essa construção e nem linearidade nas trajetórias percorridas.

Este livro reúne oito deliciosos ensaios que têm como ponto de partida o leitor e traz várias reflexões sobre a importância da leitura e da literatura na escola e na vida. Abordagens diferentes que têm como foco principal a mesma questão: quais são os caminhos para a formação do leitor? Uma discussão polissêmica que certamente contribuirá para que pais, educadores e pesquisadores ampliem seus conhecimentos sobre esse desafiador e fascinante processo.