terça-feira, 6 de junho de 2017

Para ver, ler e pesquisar sobre a infância — Dicas # 9

Brincar é mais do que diversão, é vital

Um dos pioneiros na pesquisa sobre o ato de brincar, Stuart Brown, diz que humor, jogos, algazarra, flerte e fantasia são mais do que simples diversão. Brincar bastante na infância gera adultos espertos e felizes — e continuar fazendo isso nos faz mais inteligentes em qualquer idade.




A publicação está disponível para download em PDF. São 50 páginas divididas entre as quatro letras do ABCD, com artigos, entrevistas, dicas e indicações de dentro do universo de cada tema. Parte do material é inspirado no primeiro encontro da Série Inspirações, que reuniu representantes dos núcleos da Aliança pela Infância, educadores e especialistas que falaram sobre cada letra desse abecedário e os artigos publicados são dos especialistas que participaram desse evento.

Estereótipos de gêneros

A experiência – uma iniciativa da organização Inspiring The Future, com criação da ação pela agência MullenLowe London – mostra a importância de ressaltar para as crianças sobre a não distinção de gêneros nas profissões.

Para saber como crianças pensam quando questionadas sobre o gênero de profissionais, uma escola em Londres, na Inglaterra, preparou uma ação surpresa aos alunos. Em sala de aula, as professoras pediram para que as crianças desenhassem um piloto de avião, um bombeiro e um cirurgião e como eles imaginavam que eles seriam na vida real. O resultado foi de 61 desenhos representando homens nas profissões solicitadas e somente cinco ilustrações mostrando mulheres nos mesmos papéis.

O objetivo da experiência era entender como as crianças pensam nessas profissões em relação ao gênero das pessoas que as exercem. 

O vídeo, que foi traduzido para o português pela Empodere Duas Mulheres, alerta para o fato de que os estereótipos de gêneros são definidos em um indivíduo entre os cinco e os sete anos de idade.



É uma plataforma on-line, gratuita, que existe para conectar filmes transformadores a espectadores que podem fazer alguma coisa para mudar o mundo. No acervo há diversos filmes e documentários separados por categorias que permitem ao usuário assistir on-line e programar e participar de exibições públicas. O Videocamp ainda oferece material de apoio.