terça-feira, 30 de maio de 2017

O mundo colorido de Eric Carle

Por Christiane Angelotti

É difícil falar sobre Eric Carle sem lembrar de cores, alegria, animais, insetos, criança e da Lagarta comilona. Lembrar de um ilustrador e escritor assim é mais que uma prova de que seu trabalho virou referência, entrou para o imaginário e, talvez possamos dizer, ganhou vida própria. Em seus livros Eric Carle combina o olhar puro e imaginativo da criança, com natureza, cores, formas, sensibilidade, diversão. Isto é arte!

Eric nasceu em Siracusa, Nova York, no dia 25 de junho de 1929.  Mudou-se ainda criança, aos seis anos, com os seus pais para Stuttgart, na Alemanha, terra de sua mãe, onde cresceu e se formou na prestigiada Academia Estadual de Belas Artes. Seu pai foi recrutado pelo exército alemão, em 1939, para servir na Segunda Guerra Mundial. Quando retornou para casa era um "homem morto, psicologicamente, fisicamente devastado", segundo palavras do próprio Eric.


Eric Carle também não passou ileso pelas agruras da guerra, além de ter visto seu pai ser enviado para o exército alemão, o próprio Eric foi recrutado para cavar trincheiras na linha Siegfried. Ver o mundo em guerra e estar em cidades devastadas por ela fez parte da juventude de Eric Carle.

Em 1952 retornou aos Estados Unidos, trabalhou como designer gráfico no New York Times, foi diretor de arte de uma agência de publicidade.

O início da carreira literária

O educador e autor Bill Martin Jr. notou certa vez a ilustração de uma lagosta vermelha que Carle criou para um anúncio e o convidou para colaborar em um livro ilustrado. Assim, Eric Carle iniciou sua carreira como ilustrador de livros infantis. Ilustrou Urso Marrom, que você vê? em 1967 e se tornou um best-seller. Logo passou a escrever e ilustrar suas próprias histórias. Seus primeiros livros como autor e ilustrador foram 1, 2, 3 para o Zoológico e A lagarta comilona (1969).

A lagarta comilona é um verdadeiro fenômeno de vendas, já foi traduzido para mais de 30 idiomas. No Brasil Eric Carle foi lançado pela Callis Editora, que também comercializa alguns outros títulos dele. 

“Sempre amei desenhar desde pequeno. Falei muitas vezes sobre as minhas memórias de infância na escola, pinturas coloridas e aquelas grandes folhas de papel, luz solar que através da janela da sala de aula... Desde a minha infância, eu gostava da sensação da caneta tocar a superfície do papel, de tinta brilhante, padrões e texturas, formas e cores.” Eric Carle em entrevista para a revista espanhola Babar (http://revistababar.com/wp/entrevista-a-eric-carle)

Em seu processo de criação Carle faz uso frequente da técnica de colagem. Primeiro pinta sobre papel ou tecido com tinta acrílica, usa técnicas para conferir textura ao material trabalhado, corta formas nos papéis coloridos (que ele armazena em gavetas codificadas por cores depois de secarem).

A maioria dos personagens de Eric Carle é animais, muito provavelmente influência de seu pai, pois em sua infância eles faziam caminhadas pela floresta, onde paravam para observar os pequenos bichos e insetos que viviam lá, momento em que seu pai lhe contava histórias sobre como eles viviam e cresciam.

O crescimento e a descoberta, aliás, são temas recorrentes nos 70 livros de Carle.




A sua premiada trajetória

Eric Carle ganhou vários prêmios importantes. Atualmente vive com sua segunda esposa, Barbara Morrison, entre a Florida e Hills, na Carolina do Norte. Carle tem um filho e uma filha já adultos.

Com sua esposa, Eric Carle fundou o Museu Eric Carle da Picture Book Art , um museu dedicado à arte de livros infantis em Amherst, localizado ao lado do Hampshire College, como parte da Hampshire College Cultural Village.

Em 20 de março de 2009, o Google prestou uma homenagem a Carle e ao seu livro A lagarta comilona pedindo que ele próprio criasse o logotipo Doodle do Google para comemorar o primeiro dia da primavera.






Visite também:
Site oficial do autor e ilustrador: http://www.eric-carle.com/home.html