quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

A massinha de modelar no desenvolvimento de habilidades motoras

Por Patrícia Maria de Oliveira

Trabalhar habilidades motoras finas na primeira infância é de suma importância para o posterior desenvolvimento da escrita e início do processo de alfabetização e de outras atividades presentes na vida diária de uma criança.

O processo de alfabetização tem início muito antes do conhecimento das letras e palavras, inicia nas atividades que envolvem movimentos de mãos e dedos, estímulo que, além de tornar mais fácil e significativa a alfabetização, oportuniza a criança na sua independência e evolução.

O que acontece enquanto a criança manipula a massa de modelar?

Enquanto a criança manipula a massinha de modelar, ela utiliza e estimula os músculos pequenos das mãos ao apertar, beliscar, puxar, enrolar e recortar, auxiliando de forma potencial no desenvolvimento da motricidade fina. Potencializa também o estímulo cognitivo, a sua inteligência, usa de sua imaginação e desenvolve a criatividade. Privilegia a concentração, mesmo que interagindo com outras pessoas e com os estímulos do ambiente, presta muita atenção a tudo, todos e na sua produção. 

Todos esses benefícios são oportunidades valiosas para o trabalho em sala de aula e na clínica. O uso da massinha permite introduzir os mais diversos temas e conteúdos e contextualizá-los de forma variada e divertida.

Quais conteúdos trabalhar?

Todos, sem restrição! Basta um pouco de criatividade e permitir-se novas ideias.


Algumas sugestões:

No ensino das cores

Manuseando massinhas, as crianças começam a aprender as cores. Ao misturar uma cor com a outra, perceberão uma transformação “mágica”, estará clareando ou escurecendo uma cor ou mesmo criando uma nova cor. O ideal é começar com as cores primárias na Educação Infantil e, aos poucos, ampliar para as secundárias e terciárias.

No Ensino Fundamental I podemos introduzir conceitos de monocromia e policromia e aos poucos cores quentes, frias, contrastes entre outras variações. O importante é que as atividades deverão ser propostas de acordo com a idade e o desenvolvimento da criança. 

Pontos e linhas

Separar “picotando” vários pedaços da massinha e enrolar como brigadeiro, no movimento de pinça ou usando a palma da mão e fazer rolinhos sobre uma superfície plana ou usando a palma das mãos, forma de ampliar a exploração do material as habilidades motoras.

Usando os pontos e linhas, a criança pode criar cenários “desenhados” com a massinha e também fazer o contorno de figuras geométricas e letras do alfabeto. Pode até reproduzir uma “obra de arte”, o resultado fica muito interessante!

Esculturas bidimensionais e tridimensionais

Atividade que trabalha a criatividade na sobreposição de formas, rolinhos, bolinhas, sem que as cores fiquem mescladas. Exige da criança a criatividade e um planejamento na forma de organizar uma maior quantidade de material.

Modalidade que pode ser trabalhada em maquetes, esquemas e esculturas de pequeno porte.

Na Matemática

São inúmeras as atividades que podem ser realizadas na área da Matemática. Com a massinha de modelar a criança pode construir figuras e pequenos objetos para trabalhar a correspondência termo a termo, a soma, subtração e demais operações matemáticas caso já tenha construído o conceito de número.

No primeiro contato com o material nem sempre a criança conseguirá trabalhar bem e desenvolver com êxito as suas habilidades motoras, mas o resultado pode surpreender pela forma com que a criança se expressa e o que consegue produzir.
  
O manuseio livre pode despertar e revelar inúmeras formas de trabalho, tanto na criatividade quanto nas habilidades motoras desenvolvidas ou a desenvolver.

Use e abuse da massinha de modelar!

Patrícia Maria de Oliveira é pedagoga e mestre em Psicologia da Educação